In Doenças, Olfact

Esta semana a estudante de medicina da UEL e integrante do GEM (Grupo de Excelência Médica), Larissa Cassemiro Moreira, ganhou o prêmio de primeiro lugar nas apresentações de trabalhos científicos no Congresso da Fundação de Otorrinolaringologia na sessão de Otorrinolaringologia. O trabalho intitulado “Development of olfactory disorders after exposure to the nasal decongestants: Vick®️ (camphor-levomentol) and Neosoro®️” foi desenvolvido sob a orientação do Prof. Dr. Marco Aurélio Fornazieri (coordenador do GEM e da Clínica Olfact) e tinha como objetivo avaliar o efeito da exposição a medicamentos tópicos nasais sobre a função olfatória de camundongos.

Sabe-se que o uso desse tipo de terapia é muito comum e geralmente por automedicação. Algumas medicações podem causar rinite medicamentosa pelo uso frequente, mas são necessários mais estudos para verificação dos efeitos de medicações tópicas nasais na função olfatória.

No estudo foram usados um grupo de camundongos machos que foram expostos ao descongestionante Vick®️ (princípios ativos: cânfora 52,6mg / g, óleo de eucalipto 13,3 mg / g, mentol 28,2mg / g), outro grupo ao Neosoro®️ (princípio ativo: cloridrato de nafazolina 0,5mg / ml) além dos animais sem exposição a descongestionante (controles). Os animais foram avaliados por um teste de avaliação do comportamento olfativo a cada 3 dias durante 30 e 36 dias, respectivamente.

Como resultado, foi obtido que o modelo de exposição Vick®️ não causou perda olfatória significativa. Já os resultados do modelo Neosoro®️ mostraram que a função olfatória foi significativamente pior no grupo exposto ao descongestionante. Assim, concluímos que o uso prolongado de Neosoro®️ pode levar ao desenvolvimento de distúrbios olfatórios, com diminuição da função olfatória no modelo avaliado. O uso de medicações sempre deve ser feita por indicação de profissional qualificado e deve ser acompanhado pelo mesmo.

Recent Posts
Entre em contato conosco

Responderemos o mais breve possível.

WhatsApp chat