In Olfact

Pesquisadores brasileiros publicaram um artigo científico em que avaliaram 701 pacientes internados com COVID-19 moderada ou grave analisando quanto as alterações do olfato e paladar, bem como testes de memória.

Os autores observaram que os indivíduos que apresentavam mais sequelas sensoriais pós-COVID (redução ou modificação do olfato e/ou do paladar) tinham pior desempenho nos testes cognitivos, particularmente nos de memória.

Segundo os autores, uma das mensagens importantes do artigo é que disfunções olfativas deveriam ganhar mais atenção de profissionais de saúde e das pessoas em geral, pois quando um idoso começa a perder o olfato, pode ser um indício precoce de demência.

REFERÊNCIA

Damiano, R.F., Neto, D.B., Oliveira, J.V.R. et al. Association between chemosensory impairment with neuropsychiatric morbidity in post-acute COVID-19 syndrome: results from a multidisciplinary cohort study. Eur Arch Psychiatry Clin Neurosci (2022). https://doi.org/10.1007/s00406-022-01427-3

Recent Posts
Entre em contato conosco

Responderemos o mais breve possível.

WhatsApp chat